Anuncie aqui

domingo, 29 de janeiro de 2017

Agentes encontram cinco armas e espingardas artesanais em Alcaçuz

Secretário de Justiça quer identificar os proprietários das armas. (Foto: Divulgação / Sejuc)

G1 RN: Os agentes penitenciários da Força Tarefa de Intervenção Penitenciária encontraram mais armas de fogo dentro do Pavilhão 5 de Alcaçuz. Durante uma revista feita na madrugada deste domingo (29), eles apreenderam três revólveres, uma pistola, uma mini pistola e ainda três espingardas calibre 12 feitas artesanalmente pelos próprios presos.
Além disso, os agentes também apreenderam diversas munições, de calibre 32, calibre 38, calibre 380, calibre 635 e calibre 12. O secretário de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte, Wallber Virgolino, confirmou ao G1 a informação e disse que a revista feita nesta madrugada resultou ainda na apreensão de celulares.
Armas apreendidas em Alcaçuz durante a madrugada deste domingo (Foto: Divulgação / Sejuc)
Na sexta-feira (27), quando houve a intervenção dos agentes penitenciários do Rio Grande do Norte juntamente com a Força Tarefa de Intervenção Penitenciária, um revólver havia sido apreendido, bem como mais de 500 facas artesanais,celulares e drogas.
A Operação Phoenix deve durar 30 dias e tem como objetivo “retomar, permanecer, reestabelecer e reformar o presídio”.

Pelo menos 111 detentos do pavilhão 5 da Penitenciária Estadual de Alcaçuz terão suas penas aumentadas. Os presos foram ouvidos neste sábado (28) e, de acordo com a Polícia Civil, serão autuados de acordo com suas responsabilidades por posse de arma de fogo, posse de drogas, dano qualificado, apologia ao crime, associação criminosa ou motim.

Com a apreensão feita na madrugada deste domingo, o secretário Wallber Virgolino informou que pretende identificar os presos responsáveis pelas armas encontradas para que eles também sejam indiciados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aceitaremos comentários anônimos. os Comentários Serão aceitos após uma rápida moderação, os conteúdos são de inteira responsabilidade de seus autores, em casos de ofensas pessoais ou injurias processos judiciais podem ser aplicados mediante a quebra de sigilo do seu IP.